Cabra-macho também pode ter câncer de mama

In Búzios, Saúde por Eva LartigueDeixe um comentário

homensSeu Zé tinha seis filhos, quatro do primeiro casamento e dois do segundo. Aguardava a chegada de sua primeira neta e se vangloriava da prole numerosa. Mas um acontecimento interrompeu o sonho de ser avô.

Foi a esposa que o alertou para a alteração da mama esquerda. Mas ele se recusou em ir ao médico. Dizia que “problema na mama era coisa de mulher”.

Com 60 anos, Seu Zé foi diagnosticado com câncer de mama. Já era tarde. Pelo estágio avançado da doença, o corpo tinha sido tomado pela metástase. Seu Zé faleceu sem conhecer Ingrid, sua neta, por motivos simples: o preconceito e a demora no diagnóstico.

O câncer de mama atinge principalmente as mulheres, mas acomete também os homens, especialmente entre os 50 e 70 anos. Estima-se que de cada 100 casos em mulheres exista ao menos um homem com a doença. Isso ocorre porque as glândulas mamárias estão presentes em maior quantidade nas pessoas do sexo feminino. Os homens, entretanto, também estão propícios a apresentarem e desenvolverem o câncer de mama, ainda que em menor proporção.

De acordo com especialistas, o principal vilão do câncer de mama masculino é o preconceito. Devido falta de rastreamento e prevenção, os casos de câncer de mama em homens acabam sendo diagnosticados, em média, mais tarde que em mulheres. Assim, quando descoberta, a doença já se encontra em estágio avançado.

A maioria dos aspectos do câncer de mama masculino são parecidos com o feminino e aproximadamente 20% dos homens que desenvolvem a doença já tiveram casos semelhantes na família.

As chances de cura, assim como nas mulheres, são altas e a melhor maneira de combater a doença é a informação e o exame de toque, já amplamente difundido entre o sexo feminino mas ainda resistente entre os homens.

Quando um homem nota um nódulo ou crescimento da mama, deve procurar imediatamente um médico, realizar mamografia, a ultrassonografia de mama e principalmente, deixar de lado o preconceito. Câncer de mama mata. E, como mostrou a triste história de Seu Zé, não escolhe sexo.

Deixe um Comentário