Existem médicos e médicos… De Araruama à Cuba

In Búzios, Slider por Eva LartigueDeixe um comentário

Brasil inteiro assistiu a dois diferentes acontecimentos relacionados aos médicos brasileiros em uma mesma semana. Grupo de médicos em Fortaleza vaiando os colegas cubanos que chegaram ao país pelo programa federal “ Mais Médico” e na última segunda-feira (26) e terça-feira (27) o SBT exibiu duas reportagens mostrando médicos saindo do Hospital Estadual Roberto Chabo, em Araruama, poucos minutos após assinarem o ponto.


Farra dos Médicos em Araruama – repercussão nacional

Em Araruama os profissionais mostrados são médicos políticos, pois atuam nas duas áreas. Um deles, Marcelo Amaral, fez sua campanha como vereador, pelo PT e se autointitula “O Médico do Povo”. Segundo o Ministério da Saúde, ele tem 13 empregos e trabalha 119 horas por semana, além do cargo político.

Outro médico flagrado batendo o ponto e saindo em poucos minutos foi o ginecologista Amilcar Cunha Ferreira, ex-vereador, ex-vice-prefeito e ex-secretário da saúde em Saquarema. Segundo a reportagem, ele trabalha 36 horas por semana, no hospital e em sua clínica.

A Secretaria de Estado da Saúde do Rio de Janeiro, após a exibição da primeira parte da reportagem, na segunda-feira (26) à noite, já havia afirmado que foi aberta uma sindicância por parte da Subsecretaria e Corregedoria da Saúde para investigar o caso.

De acordo com a secretaria, os nomes dos médicos envolvidos na fraude serão enviados ao Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro (Cremerj) para que a entidade investigue a conduta médica desses profissionais.

Caso seja comprovada a fraude, os médicos poderão ser demitidos e a Secretaria solicitará que a Procuradoria Geral do Estado entre com medidas judiciais cabíveis para que haja o ressarcimento desse dinheiro pago aos profissionais que não trabalharam.

O escândalo revelado pela reportagem do SBT provocou a exoneração do secretário de Saúde do município, José Gomes de Carvalho, na última quarta-feira (28). Carvalho também fazia parte do esquema de “médicos fantasmas” e chegou a parar com o carro na calçada para assinar o ponto e ir embora.

O hospital é utilizado por moradores de 11 cidades da Região dos Lagos, que têm juntas 770 mil habitantes.


Médicos brasileiros vaiam colegas cubanos – repercussão internacional

O grupo de 96 estrangeiros que está fazendo curso de atenção básica de saúde e português no Ceará foi recebido para a aula inaugural do treinamento, na segunda, por cerca de 50 profissionais brasileiros que gritavam palavras de ordem e reivindicavam pela realização do Revalida, exame de validação do diploma de medicina para curso feito no exterior.

A cena de médicos vaiando os colegas cubanos repercutiu negativamente por todo o país e ganhou as paginas de grandes jornais do mundo. O jornal britânico The Guardian repercutiu a frase dita pela presidente Dilma Rousseff na última quarta-feira : “Há grande preconceito contra médicos cubanos”. A presidente defendeu fortemente os médicos cubanos em uma entrevista de rádio em que ressaltou que os recém-chegados só iriam trabalhar na Amazônia e em lugares remotos onde os médicos locais não estavam dispostos a ir”, ela disse.

A publicação do The Guardin comenta que o país tem mais de 700 municípios sem médicos e que após a chegada do primeiro contingente de 400 médicos cubanos no fim de semana passado, os cubanos foram vaiados pelos profissionais locais, que se opõem ao que eles descrevem “como uma medida paliativa que não consegue atender à necessidade de mais investimentos em hospitais e melhores salários para os médicos”.
O artigo também cita o Ministro da Saúde Alexandre Padilha dizendo que ele também manifestou indignação com o tratamento de seus colegas brasileiros: “Isso é muito brutal, que inci

A parte mais tosca deste protesto contra os médicos cubanos é o fato de estarem vaiando os médicos em si. É de direito e democrático, mesmo que estranho, que médicos brasileiros discordem da iniciativa do governo brasileiro. Então com isso subtende-se que todo e qualquer protesto deve ser direcionado ao governo, pois os médicos estrangeiros que acabaram de chegar apenas se inscreveram em uma oportunidade gerada pelo Brasil a carreira deles. Mas no entanto estamos assistindo os “nossos” médicos hostilizando colegas que, caso a iniciativa do governo estivesse errada, nada tem com isso. Se abrissem vagas para trabalhos nos EUA ou algum país europeu e os médicos protestantes brasileiros se inscrevessem seria certo serem hostilizados pelos médicos locais?


Opiniões da Região dos Lagos sobre o “protesto das doutoras”

“Que os médicos cubanos sejam referência pra nossa população preta e periférica. Que o contato humanista, ensinado na Universidade Cubana faça os nossos tomarem de vez a Universidade Pública Brasileira e desbancar essa elite de merda que tem nojo de encostar em nós. Que se aprenda de uma vez por todas que o conhecimento e os recursos tem que ser geridos por nós. Salve a medicina cubana…” Fábio Emecê – Rapper, professor, escritor e superintendente de igualdade racial em Cabo Frio

“Pouco me importa a origem de quem me atenda, desde que me atenda com respeito. Coisas que muitos médicos no Brasil e principalmente no sistema público parecem conhecer. porque também há péssimos profissionais cobrando caro no particular. Alguns que deveriam ser aposentados a força. Até creio que em grandes cidades e hospitais seja muito diferente. Que realmente há um grande movimento e pouco médicos e recursos.Mas no interior, quando meu pai estava internado e morrendo de câncer, ouvi a seguinte frase de um médico que foi acordado no meio do seu plantão, porque havia pouco movimento: ‘Isso é hora para a merda desse povo se acidentar e tirar o nosso sono?’. Se eu fosse um pouco mais forte ele teria sido acidentado. Porque deu vontade de esmagar a cara do filho da puta daquele médico. Duas crianças mortas e um pai esmagado e mãe gritando de desespero. Isso para sempre vai ser uma cena mórbida a povoar meus pesadelos. E muitas e muitas outras vezes que fui mal atendido por médicos que não tinham ninguém na fila de espera. Mas era tarde e eles estavam com sono. Sempre é uma injeção de Dipirona e basta.Sei que há profissionais maravilhosos no sistema público e que fazem milagres com pouco. Mas também há o outro lado da moeda e não é hostilizando profissionais de outros países que se resolverá nada.Parte superior do formulário” Arildo Guimarães – biólogo e escritor – Barra de São João

“Esse “negão” é um médico cubano, e detalhe, pobre. Veio trabalhar nas regiões que os médicos brasileiros abominam. Veja que vergonha, ele foi recebido sob vaias dos médicos “patriotas”. O voluntário veio para ir fazer aquilo que eles não querem, isso permite que os filhinhos de papai continuem nos grandes centros… Nem isso eles conseguem perceber.
Outrora, quando médicos foram importados de Cuba pelo governo FHC todos aplaudiram… Agora meus compatriotas “racham” minha cara…”Claudio Andrade – Pedagogo e escritor – São Pedro da Aldeia
Comentário de um médico buziano.

Tomei e liberdade de pegar o comentário (facebook) do grande médico buziano Dr. Jose Joaquim sobre os médicos cubanos no post do companheiro Tito Rosemberg:
“ É uma vergonha nacional. corporativistas, pilantras, fraudadores, dedos de silicone e patricinhas e mauricinhos que tem medo de sair do Leblon ou do Morumbi, deveriam agradecer aos cubanos e espanhóis e outros que vão se meter no mato para cuidar da nossa gente. Claro que depois de passar no Revalida, mas hostilizá-los ?.”

Deixe um Comentário