Informações sobre os males do mercúrio são omitidas

In Especial Minamata, Japão, Mundo, Turismo por Eva LartigueDeixe um comentário

1238167_559128770802318_1502777678_n
Por Marcelo Lartigue

Estou vivendo em Minamata, aqui no Japão, uma experiência incrível! Primeiro por estar aqui do outro lado do mundo, em uma cultura tão diferente da que conheço, e depois por tudo que estou registrando e aprendendo como correspondente do Perú, que é o único órgão de imprensa presente na convenção, aqui.

Após a emocionante cerimônia de homenagens aos mortos pela contaminação com mercúrio em Minamata, organizada por representantes do Japão e da ONU, eu conversei com a dentista Anita Tibau, que há anos luta contra a utilização do amalgama dentário no exercício de sua profissão.

Mas, ela alerta que o grande problema, o verdadeiro escândalo, é a grande quantidade de mercúrio ainda jogado nos rios do Brasil. “Temos que acabar com uso do amálgama sim, mas o problema do mercúrio é muito maior. No Brasil, por exemplo, ainda temos o garimpo do mercúrio, o que provoca a contaminação das comunidades ribeirinhas, coisa muito parecida com o que aconteceu em Minamata”.

No entanto a Dra. Anita, assim com outras pessoas que entrevistei aqui, foi categórica sobre o uso do amalgama dentário: “No Brasil, o amálgama ainda é usado no sistema público, o que se torna um problema social. Mas é muito importante que se erradique a amalgama dos consultórios dentários”.

Nessa convenção estou descobrindo que o problema do mercúrio, no Brasil, é muito maior do que podemos imaginar. As vezes, me parece que as autoridades brasileiras estejam sendo no mínimo omissas em relação a informação sobre os graves problemas no uso do mercúrio. Anita também acredita nisso: “Repito que isso é uma injustiça social grave. A falta de conhecimento é o mais nocivo”.

Deixe um Comentário