Já pensou num campo de golfe frequentado por 700 mil jogadores/ano???

In Especial Minamata, Esportes, Japão por Eva LartigueDeixe um comentário

DSC01879Por Marcelo Lartigue

No Japão o golf é uma paixão nacional, tanto quanto o Beisebol, cheguei a ver nos sinais de trânsito pessoas fingindo dar tacadas enquanto esperavam que esses se abrissem. Também vi taxistas fazendo o mesmo gesto enquanto esperavam a hora de sair. São muitos clubes e locais de treino por todo o país, a maioria em municípios nos arredores de Tókio, uma ou duas horas de carro. Chegam a ser 38 campos de golf na cidade de Ibaragi, 54 em Tachigi, 17 em Saitama e 32 em Gunma. No centro de Tókio existe o Lotte, um prédio de três andares dedicados ao golf. Com um estacionamento para 400 carros, o Lotte é um centro de treinamento onde se pode alugar pequenos box com espaço para três pessoas e ainda há no local restaurante, lojas, quarto de massagens, escolas de golf com professoras que são profissionais do esporte. No teto do prédio há uma grande área onde se pode deixar as crianças enquanto os pais praticam golf. O público é composto em grande maioria por pessoas de alto poder aquisitivo.

No Japão o pessoal golfa direto

Por Chikako Hashimoto

Nos anos 70 a maioria das pessoas jogavam golf no SETAI GOLF, um local para se socializar, falar sobre negócios além, é claro, jogar. Nos anos 80 as pessoas jogavam golf simplesmente por diversão. No inicio dos anos 90 SETAI GOLF foi perdendo sua popularidade coincidindo com a crise econômica do país fazendo que tivessem que cortar custos. Por outro lado o marketing de golf começou a visar as mulheres jovens criando um interesse repentino para uma nova leva de adeptos masculinos ao esporte aquecendo assim o mercado com o surgimento de novas revistas especializadas e programas de TV.

Iniciantes pagariam um custo de mais de 1000 reais para o equipamento, carro próprio mais diária do clube somando um total de aproximadamente R$200,00 para o prazer de duas horas de jogos no dia. O golf é um esporte caro.

Tivemos a oportunidade de conversar com a jogadora de golf Masumi Ishikawa moradora de Tókio, ela, que tem 53 anos, nos contou que adora o esporte e quando mais jovem era adepta do tênis de quadra, mas por motivos de saúde teve que abandonar o esporte e achou o golf uma opção muito mais favorável para seu estado de saúde. Agora nunca mais quer parar de jogar e ficou muito agradecida por ter seguido o conselho de um amigo que a incentivou a praticar o golf no passado.

Masumi acha um esporte difícil, mas exatamente isto que há faz se dedicar tanto, conta que quando consegue acertar uma boa tacada de bola voa zunindo na direção do verde em um ambiente cheio de tranquilidade e natureza isto que lhe da o maior prazer no jogo. Ela ainda tem aulas duas vezes por semana para melhorar sua performance, seu kit de tacos custou uma quantia de R$2 mil.

Ultimamente muitas mulheres na mesma faixa de idade de Masumi estão envolvidas com o esporte. É possível fazer suas reservas para jogar golf. Masumi está tão envolvida com o esporte, assim como suas amigas, que muitas vezes elas fazem parte de um tour organizado pelas firmas em que trabalham e onde familiares também são bem vindos.

Masumi conta que possível fazer suas reservas para jogar golfe pela internet e pessoas que não dirigem ou que não possuem um carro podem utilizar um serviço de entregas muito eficiente para levarem seu equipamento até o clube. Ultimamente Masumi esteve em Batam, na Indonésia, para jogar golf e percebeu a grande diferença entre os clubes de sua terra natal, que são superiores em relação ao terreno e a tecnologia, e os deste país. No Japão os clubes tem até uma área para banho e locais especiais para mulheres se maquiarem com todo aparato para maquiagem, serviço de cady ou não, facilitando assim os custos desejados, porém em Batam a agradou o clima de resort tropical o qual trás uma alegria muito grande para os japoneses pois no Japão o verão é muito curto.

Deixe um Comentário