O Brasil com a Copa do Mundo e as Olimpíadas vai fazer feio!

In Brasil, Japão, Mundo, Rio de Janeiro, Turismo por Eva LartigueDeixe um comentário

DSC01849Por Marcelo Lartigue 

O Japão é uma aula de educação e humildade, esse pais está há mil anos  na nossa frente. Para um argentino abrasileirado viver lá apenas um mês não foi nada fácil.

Assim que cheguei ao Brasil, fui à venda do Benedito em Manguinhos para matar as saudades e como sempre faço, comprei umas frutas, especialmente as maçãs,  e vim comendo no carro ate a rua da brava. No meio do caminho já tinha devorado pelo menos umas três, ficando em minha mão aquele restinho da semente que sempre jogo fora pela janela.

Ainda sob o efeito da disciplina e da educação japonesa peguei esse restinho e coloquei no lixo na redação! Muito embora não esteja no Japão, estou fazendo a coisa certa.

No Japão, ninguém joga nada no chão, as calçadas estão sempre limpíssimas, o próprio morador do local se encarrega de manter limpa a frente de sua casa.

Ninguém travessa o sinal em vermelho mesmo que não esteja passando nenhum carro. Se eventualmente alguém tenta atravessar o próprio semáforo alerta que não se pode atravessar.

O transporte lá é um relógio de combinações. Na estação de metrô Otemachi do bairro Chiyoda se encontram 60 saídas e por lá passam por lá 3 milhões de passageiros por dia, no nível da rua trafegam trens e por baixo até 4 linhas de metro, uma por baixo da outra. A grande propaganda da organização do transporte é dizer que em um ano os trens não atrasam um minuto no seu sincronismo.

Os campos de golfe se reproduzem por todo lugar e o Tóquio Golfe Clube recebe 700 mil jogadores por ano e tem campos de treinamento onde somente se pratica o esporte em prédios de três andares que funcionam 24 horas.

Tudo lá funciona com projetos, qualquer encontro ou reunião precisa ser marcado com uma semana de antecedência.

Lá também não percebi em momento algum na cidade o mau cheiro de esgoto. Cada cidade tem seu sistema de tratamento que funciona constantemente e jamais um morador vai jogar esgoto nas galerias pluviais. A fiscalização é extremamente rígida e constante.

Lá também não há empregada doméstica, pois a própria família limpa a casa. Você já imaginou um Brasil assim, uma Búzios assim. Todos querem aprender, todos querem estudar, todos querem evoluir.

A comida é limpíssima, no maior mercado de peixe do mundo não se sente cheiro de peixe.

Por falar em cheiro as japonesas são belíssimas e cheirosíssimas,  mas são todas iguais e não tem bunda.

Na entrevista abaixo um brasileiro filho de imigrantes japoneses no Brasil que voltou ao Japão e se adaptou muito bem no país da família.

Vibrou com a edição do Perú Molhado em japonês, acrescentando que foi uma boa sacada e querem que isso se repita, um jornal escrito em japonês que fale do Brasil e de Búzios.

Ele já ofereceu uma loja em Tóquio para instalarmos a redação do Perú com placa na porta e tudo.

Como bom sul-americano,  jamais pensei em visitar o Japão, jamais pensei em ter saudades deste país.

Nas minhas andanças pelo Japão conversei com muita gente boa, e doida também.   Japoneses e brasileiros residentes nesse distante país, e assim encontrei com o jovem O engenheiro elétrico Norberto Shinji Mogium brasileiro que vive há mais de 20 anos no Japão e nutri uma opinião controversa, no entanto que não deixa de ser verdadeira, do Brasil. Sem muita delonga, como se eu fosse simples e direto como um japonês, vamos à entrevista:

O Japão irá sediar as olimpíadas em 2020 parece que já está tudo organizado. É verdade?
Sim. Em 2020, o Japão sediará as olimpíadas e já existe uma preocupação de quanto o número de japoneses que poderão participar do evento. Na China houve a participação de cerca de 70% de chineses aos jogos e aqui se espera a participação de cerca de 60% do povo japonês presente.  Os locais de hospedagem para 2020 já tem preço definido e as pessoas já estão comprando os ingressos.

No Brasil isso não tem como acontecer. As hospedagens, por exemplo, os preços aumentam constantemente e ainda nem se fala em preço de ingressos. O que acha?
Eu acho que cambista existe em todo lugar, aqui no Japão também tem. Mas no Brasil é exagerado. Mas é uma questão cultural também. O governo brasileiro deveria interferir mais nisso, mas sabemos que o governo brasileiro também deixa muito a desejar.

O Brasil não está preparado para a Copa do Mundo?
Vou ser sincero acho que com a Copa do Mundo e as Olimpíadas o Brasil vai fazer feio. Não há infra-estrutura para receber tanta gente.  Não tem transporte, esse é um grande problema, a segurança no Brasil não é boa. Se o governo brasileiro não cuidar disso o Brasil irá passar muita vergonha no cenário internacional. O problema do Brasil é que ao invés de aproveitar a Copa do Mundo e as Olimpíadas como trampolim econômico, infelizmente servirá como forma de ganho para empreiteiras desonestas e coisas do gênero. Aqui no Japão quando se comemora receber uma olimpíada em 2020 é porque o Japão já começa a ser um canteiro de obras e isso vai gerar empregos. Pode até ser que empresas e políticos irão se beneficiar com isso ilicitamente, mas não chega a ser da forma descarada como é no Brasil. Lá é vergonhoso. Aqui se a construção de um estádio no orçamento custa X e no final acaba custando o dobro. Isso aqui no Japão não existe. Aqui se for orçado por um milhão, será um milhão, se a empresa terá prejuízo problema dela, terá de entregar a obra pronta por um milhão.  No Brasil se no final a empresa ver que não terá lucro para a obra e começa a chantagem.

Por que você acha que isso acontece?
Certeza de impunidade. O judiciário não é forte no Brasil. Ainda quem manda é o poder político. Há uns 25 anos atrás desabou um prédio no Rio de Janeiro e o dono era um político, o deputado Sérgio Naya, não aconteceu nada, não houve indenização não houve nada. Aqui no Japão se cair um prédio, independente de como aconteceu, o fato é que o prédio caiu e a responsabilidade é da construtora.  E não importa quem seja o dono.

No Brasil estamos sofrendo com a invasão do crack. Aqui no Japão há muita droga?
Tem drogas em todo lugar do mundo, mas não chega a ser no nível do Brasil porque a legislação aqui é mais rígida e também tem haver com a cultura.

Como assim?
Aqui se preza muito a honra do nome que se tem. Um dos casos mais recentes é o de um dos mais bem pagos comunicadores do Japão, o Mino Monta.  O filho dele roubou uma carteira e ele (o comunicador) pediu perdão publicamente e pediu demissão de todos os programas de televisão do qual participava. Ele na verdade não fez nada, foi o filho dele. São indivíduos separados, mas ainda assim ele se sentiu envergonhado.  O Brasil precisa ter um pouquinho de orgulho do nome que tem.

Mas esse rigor muitas vezes causa também alguns problemas como, por exemplo, o suicídio de jovens nas escolas.  Em sua opinião por que isso acontece?
O japonês é muito certinho e ele não tem uma válvula de escape. Nesse sentido o brasileiro vive mais tranqüilo. O japonês é tão certinho que se faz uma coisa errada ele se cobra muito. No Brasil se um político faz uma coisa errada ele não se importa.

Há muita diferença dos políticos japoneses e os brasileiros?
Sim.  No caso do Brasil eu prefiro ter militares no poder, quero que eles assumam o poder novamente. Hoje no Brasil não existe democracia. Hoje o congresso é uma casa de ladrões e é o PT que está comandando nosso país. O PT é um governo medíocre, corrupto e burro, que está destruindo o nosso país. Eu sou a favor que os militares fechem o congresso e assumam o poder e comece tudo do zero novamente.  Vão me dizer que isso irá regredir a democracia, mas no Brasil não existe democracia, o que existe hoje no Brasil é uma máfia que está comandando o país.

Mas aqui há alguns problemas também, não é? O caso de Minamata, onde toda uma cidade foi contaminada com mercúrio foi omissão do governo. E o caso da de Fukushima onde percebi que a mídia japonesa esconde dos próprios japoneses o perigo que todos aqui ainda correm, não?
Realmente aqui no Japão a mídia infelizmente é muito controlada mesmo. Eu não sou especializado nessas questões nucleares, mas acho que realmente existe um risco de que ocorra alguma coisa. Mas eu acho também que o Japão para ser o país que é e chegar ao ponto de realizar uma operação como essa eles estudaram e estão preparados para isso.

Mas você sabe que será realizada uma obra nos próximos dias e que se der errado, a contaminação nuclear chegará até Tóquio?
Eu moro aqui e sei que se acontecer alguma besteira lá irá me afetar aqui, mas ao mesmo tempo eu confio nos especialistas japoneses.

Eu estive em Hiroshima e vi o que os americanos fizeram lá e descobri que as bombas que foram jogadas sobre Tóquio chegaram a matar mais pessoas que lá. Você diante disso acha que os japoneses realmente tenham perdoado os americanos?
Acho que sim. O povo japonês não é muito agressivo.

Mas o Japão esteve envolvido em muitas guerras e foram ferozes, não é?
Sim, o Japão fez tanta coisa ruim na China como os nazistas fizeram com os judeus, talvez até pior. Mas os ingleses, portugueses e espanhóis mataram muito mais na África e nem por isso se diz que esses três povos são ferozes.  Não é verdade?

Mas a razão pela qual o Japão aparenta ter perdoado os americanos não seria apenas dependência econômica?
O japonês é um povo um pouquinho acomodado. Veja que o governo japonês faz tanta coisa errada aqui e prefere ficar quieto porque dá menos dor de cabeça.

O que o governo japonês faz de ruim?
Um exemplo é o caso que você citou de Fukushima. Foi feita uma usina nuclear lá e deu o problema que deu, o governo é muito moroso para resolver essa situação. Se fosse outro país já estava havendo protestos.  No entanto veja que no Japão não existe protestos.  

No Brasil está tendo uma onda de protestos, isso é bom?
Isso seria bom para o Japão, que se tivesse essa consciência de protestos.

O que diria aos seus conterrâneos lá no Brasil?
Se eu fosse deixar uma mensagem diria que o Brasil é tão bonito e sei que ele tem muito a oferecer ao seu próprio povo e também ao mundo.  O Brasil deve mudar a partir de seu povo, não adianta reclamar muito do governo se nós mesmos não mudamos.  A mudança de um país acontece pela mudança individual de cada pessoa. O brasileiro reclama muito do político que recebe propina, mas se comete uma infração vai lá e paga uma propina para o guarda para não receber multa. Assim não há como haver mudança.

Deixe um Comentário