O Forrest Gump brasileiro

In Noticia_marcante, Noticias, Sem categoria por Eva LartigueDeixe um comentário

José Edivaldo Souza Silva, nascido no Maranhão, há quatro anos resolveu quebrar a rotina e saiu andando pelo Brasil com apenas duas cuecas velhas, fazendo alusão ao famoso personagem de cinema Forrest Gump, o contador de histórias, que, de uma hora para outra, decide cruzar os Estados Unidos. Muito conhecido na internet, com diversos vídeos nas cidades em que já passou, o missionário carrega a bandeira brasileira por onde vai, promovendo mensagens de incentivo e sobrevivendo de ajuda.

 

Há quanto tempo você está percorrendo o país?

Percorro o Brasil andando há quatro anos. Já passei por Maranhão, Piauí, Pernambuco, Bahia, Ceará, Tocantins, Brasília, Rio de Janeiro, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina… São 17 estados no total.

 

E como você veio parar na redação do Perú?

Eu sempre tive vontade de conhecer Búzios. Em todos os lugares que eu passo as pessoas falam bem da cidade. E eu estava indo para Cabo Frio andando, e o querido Muchacho Bicho Doido me viu na estrada. Ele parou e ficou encantado comigo. Foi amor a primeira vista, ele se apaixonou por mim. E disse: “Maranhão, você não sai da região sem passar lá no Perú Molhado”. E eu topei na hora.

 

Quantas cidades você já conheceu?

Eu já passei por mais de 900 cidades, sempre de verde e amarelo, carregando a bandeira do Brasil, que é a minha identidade e minha marca.

 

E você tem algum missão nessa jornada?

Minha missão é promover a paz. Eu tenho grande fé e esperança de que a nossa nação será a nação da paz no mundo todo. Porque somos muito ricos em belezas naturais, temos um povo acolhedor e amigo. E sempre digo que o maior diamante do mundo é o estado do Rio de Janeiro, mas precisamos de paz no local.

 

E aconteceu algum fato aqui na região que te marcou?

Eu estava na cidade de São Pedro da Aldeia dormindo no chão, por volta das 20 horas. Era um local de passagem de pedestres. E estava muito frio e eu estava todo encolhido. Aí, um senhor veio andando e tropeçou em mim. Aí eu falei pra ele: “Rapaz, você está cego?” E ele respondeu: “Sim, eu sou cego”. E o pior era que ele é cego mesmo. Depois disso eu o levantei com o cajado e fiquei sorrindo. Foi uma coisa bem engraçada que jamais vou esquecer.

 

E você pretende ganhar seguidores?

Eu tenho a intenção de dar palestras quando acabar minha jornada, para conseguir novos seguidores. Isso seria fantástico!

 

E dá tempo de namorar nessa sua jornada?

Rapaz, eu tenho duas namoradas. O sol e a lua, ninguém mais. Eu caminho sozinho, não tenho nem animais. Isso porque já é difícil conseguir alimento para mim, para um bichinho seria ainda mais complicado. Eu só carrego a cachorra, que é a minha mochila, com duas cuecas velhas bem embaçadas, que já estão cheias de freadas de bicicleta.

 

E como você se descreve?

Por onde passo digo que sou o Príncipe Maranhense, uma estrela que saiu para o mundo para brilhar por esse céu brasileiro. Com um único vicio: a caminhada.

 

Você tem família?

Minha família é o sol e a lua. E os meus amigos são as pessoas que eu vou encontrando pelo caminho, como a galera do Perú, que eu gostei muito. Todos são meus irmãos de momento.

 

E você tem algum sonho?

Meu sonho é entrar em contato com o pessoal do Luciano Huck, para ele me ajudar a conseguir entrar no livro dos recordes. Inclusive, estou indo para o Rio fazer isso. Eu já mandei diversas cartas para ele, mas nunca consegui ser correspondido. Já mandei até carta para o Obama contando a minha história. Eu acredito que sou o único brasileiro, em 500 anos, que atravessou o país andando. Quero promover isso, e gostaria de agradecer o pessoal do jornal por estar me ajudando a ficar mais próximo do meu sonho divulgando minha jornada.

Deixe um Comentário