Será que eu chego vivo até a Copa do Mundo?

In Búzios, Slider por Eva LartigueDeixe um comentário

Cabelada é famoso na cidade. Primeiramente por ser o Cabelada, ter um nome assim já é bem especial. Mas depois ele é famoso por ser arbitro e ter apitado jogos importantes. Mas Cabelada também é famoso por ser um grande bebum,  um dos que mais tempo vem resistindo. Vamos à entrevista.

 

Você agora está passando seu conhecimento na Secretaria de Esporte? 

É, eu tô lá na Secretaria de Esporte ajudando esse grande secretário, Thiago Costa, que a pesar de não ser de Búzios, tem um grande amor pela cidade e quer fazer o melhor por aqui.

 

Cabelada, acabamos de falar com Romário e ele teceu muitos elogios á você. Apitou jogos dele? 

Tive o prazer de apitar vários jogos com esse mostro sagrado que foi o Romário, uma colocação de área inconfudivel. Pelé jogou muito, tive o prazer de ver jogar, mas na colocação de dentro de área nunca vi ninguém parecido com Romário no futebol brasileiro. Sabia se posicionar como ninguém se posiciona, parecia que a bola o procurava.  Além disso, um grande caráter, não perturbava a arbitragem, fazia o dele, que era jogar e fazer gol. E agora está ai surpreendendo como deputado está moralizando o futebol brasileiro.

 

É bom rever os amigos? 

É sempre bom a gente do mundo do esporte poder rever os amigos. Já faz 20 anos que apitei um jogo com o Romário, ele ainda jogava no Vasco da Gama. Mas é bom poder rever o pessoal da aeronáutica também, onde servi por vários anos.  O pessoal da Mercedes Benz, onde vendia caminhões. Toda vez que encontro um amigo das antigas meu coração se aflora e a emoção é grande.  Minhas pernas tremem e as minhas mãos também.

 

Isso não é efeito da cachaça? 

Pode ser também. Mistura tudo mesmo.

 

Independente de ser o Cabelada famoso, o arbitro, o bebum, você também é repórter do Perú Molhado? 

Uma das coisas das quais me envaideço muito é de ser repórter do Perú.  Eu sempre me envaideci de tudo que fiz.  Vendedor de caminhão da marca Mercedes Benz, onde fui vitorioso. Como arbitro também, onde eu poderia ter tido uma carreira mais longa, mas não consegui conciliar a carreira de arbitro com a carreira de boêmio. Eu sempre fui um grande boêmio porque eu sempre gostei e gosto da noite, de cerveja, de champagne e gosto muito de mulher!

 

Esse ano a Copa será no Rio. Você irá cobrir? 

Eu vou, mas de forma programada porque agora a diferença é que agora eu trabalho no serviço público e tenho que me programar com datas e tentar conciliar a Copa do Mundo com as minhas férias.  Não posso deixar meu serviço a desejar.

 

Mas eu vejo que você está muito ansioso com a Copa do Mundo, se programando todo. Ainda está longe. Por que tanta pressa? 

Pelo andar da carruagem esses vinhos que eu gosto de tomar e essas cervejas que tomo em grande proporção, acho que é muito difícil que eu possa chegar vivo até lá.  Mas vamos torcer, Deus é grande e sempre olhou por mim, Nossa Senhora Aparecida, São Cosme e Damião sempre me protegeram.

Deixe um Comentário